O Menino e o Balão – Conto Infantil

399

Era uma vez um menino chamado Pedro, que morava com a sua mãe em um apartamento na cidade. Ele gostava muito de brincar com o seu balão vermelho, que ele ganhou do seu pai no seu aniversário. O balão era o seu melhor amigo, e ele o levava para todo o lado.

Um dia, a mãe de Pedro disse que eles iam fazer uma viagem para visitar o seu pai, que morava em outra cidade. Pedro ficou muito feliz, pois sentia muita saudade do seu pai, que ele não via há muito tempo. Ele pegou o seu balão vermelho e colocou na sua mochila, junto com as suas roupas e brinquedos.

No dia da viagem, Pedro e a sua mãe pegaram um ônibus e foram para a rodoviária. Lá, eles esperaram pelo ônibus que os levaria para a cidade do pai de Pedro. Pedro estava ansioso para ver o seu pai e mostrar o seu balão vermelho para ele.

Quando o ônibus chegou, Pedro e a sua mãe entraram e se sentaram em seus lugares. Pedro colocou a sua mochila no colo e abriu o zíper para pegar o seu balão vermelho. Mas, para a sua surpresa, o balão não estava lá. Pedro ficou desesperado e começou a chorar.

  • Mãe, cadê o meu balão vermelho? Eu deixei ele na mochila, eu tenho certeza! – ele disse, soluçando.
  • Calma, filho, não precisa chorar. Talvez você tenha esquecido o balão em casa, ou talvez ele tenha caído da mochila no caminho. Não se preocupe, nós vamos comprar outro balão para você quando chegarmos na cidade do seu pai. – a mãe de Pedro tentou consolá-lo.
  • Não, mãe, eu não quero outro balão. Eu quero o meu balão vermelho, o que o papai me deu. Ele é o meu melhor amigo, eu não posso ficar sem ele. – Pedro disse, inconsolável.

Pedro chorou durante toda a viagem, e não se animou nem quando viu o seu pai na rodoviária. Ele abraçou o seu pai, mas logo perguntou pelo seu balão vermelho. O pai de Pedro ficou triste ao ver o filho tão triste, e disse que ia ajudá-lo a encontrar o seu balão.

  • Vamos, filho, vamos para a minha casa. Lá nós vamos procurar o seu balão na internet, talvez alguém tenha achado ele e colocado um anúncio. Ou então nós vamos ligar para a sua mãe e perguntar se ela encontrou o balão em casa. Não perca a esperança, nós vamos achar o seu balão. – o pai de Pedro disse, tentando animá-lo.

Pedro e a sua mãe foram para a casa do pai de Pedro, que era uma casa grande e bonita, com um jardim e uma piscina. Pedro gostou da casa, mas não se sentiu à vontade. Ele sentia falta da sua mãe, que tinha ficado na rodoviária, esperando pelo ônibus de volta. Ele também sentia falta do seu balão vermelho, que ele não sabia onde estava.

O pai de Pedro ligou para a mãe de Pedro e perguntou se ela tinha encontrado o balão em casa. A mãe de Pedro disse que não, que ela tinha procurado em todos os lugares, mas não tinha achado o balão. Ela disse que sentia muito, e que esperava que Pedro encontrasse o seu balão.

O pai de Pedro então entrou na internet e procurou por anúncios de balões vermelhos perdidos. Ele encontrou vários, mas nenhum era o balão de Pedro. Ele mostrou as fotos para Pedro, mas Pedro disse que nenhum daqueles era o seu balão. Ele disse que o seu balão era diferente, que ele tinha um sorriso e um laço azul.

O pai de Pedro ficou sem saber o que fazer. Ele viu que Pedro estava muito triste, e que nada o fazia sorrir. Ele pensou em comprar outro balão vermelho para Pedro, mas sabia que Pedro não ia aceitar. Ele queria fazer o seu filho feliz, mas não sabia como.

Foi então que ele teve uma ideia. Ele lembrou que tinha um amigo que trabalhava em uma loja de balões, e que ele podia fazer balões personalizados. Ele ligou para o seu amigo e pediu um favor. Ele pediu que ele fizesse um balão vermelho igual ao balão de Pedro, com um sorriso e um laço azul. Ele disse que era uma emergência, e que ele precisava do balão o mais rápido possível.

O amigo do pai de Pedro disse que ia fazer o balão, e que ia entregá-lo na casa do pai de Pedro em uma hora. O pai de Pedro agradeceu e desligou o telefone. Ele disse para Pedro que tinha uma surpresa para ele, e que ele ia ficar muito feliz. Ele disse para Pedro esperar no quarto, e que ele ia buscar a surpresa.

Pedro ficou curioso, mas obedeceu. Ele foi para o quarto e se sentou na cama. Ele olhou pela janela e viu o céu azul e as nuvens brancas. Ele pensou no seu balão vermelho, e se perguntou se ele estava voando por ali, livre e feliz. Ele sentiu uma pontada de saudade, e uma lágrima escorreu pelo seu rosto.

Uma hora depois, o pai de Pedro bateu na porta do quarto e entrou. Ele estava segurando um balão vermelho, com um sorriso e um laço azul. Ele disse para Pedro olhar o que ele tinha trazido para ele. Ele disse que era o seu balão vermelho, que ele tinha encontrado na rua, perto da rodoviária.

Pedro olhou para o balão e não acreditou no que viu. Era o seu balão vermelho, exatamente como ele se lembrava. Ele pulou da cama e correu para abraçar o balão. Ele disse que estava muito feliz, e que tinha achado que nunca mais ia ver o seu balão. Ele agradeceu ao seu pai e disse que ele era o melhor pai do mundo.

O pai de Pedro sorriu e abraçou o filho. Ele disse que ele também estava muito feliz, e que ele amava muito o filho. Ele disse que ele sempre ia estar lá para ele, e que ele podia contar com ele para tudo. Ele disse que ele e a mãe de Pedro podiam morar em lugares diferentes, mas que eles nunca iam deixar de ser uma família.

Pedro sorriu e disse que ele sabia disso, e que ele amava muito o pai e a mãe. Ele disse que ele era um menino de sorte, pois tinha dois pais e duas casas. Ele disse que ele ia levar o seu balão vermelho para as duas casas, e que ele ia mostrar para a mãe quando voltasse para a cidade dela.

O pai de Pedro disse que ele achava uma ótima ideia, e que ele tinha certeza de que a mãe de Pedro ia ficar feliz em ver o balão. Ele disse que eles iam passar um tempo juntos, e que eles iam se divertir muito. Ele disse que eles iam brincar no jardim, nadar na piscina, e comer bolo de chocolate.

Pedro disse que ele adorava bolo de chocolate, e que ele estava com fome. Ele disse que ele queria ir logo para o jardim, e que ele queria soltar o seu balão vermelho no ar. Ele disse que ele queria ver o seu balão voar alto, e que ele queria que o mundo inteiro visse o seu balão.

O pai de Pedro disse que ele também queria ver isso, e que ele ia com ele para o jardim. Ele pegou a mão de Pedro e saiu do quarto, levando o balão vermelho. Eles foram para o jardim, e lá eles soltaram o balão no ar. Eles viram o balão subir, subir, subir, até ficar pequenininho no céu. Eles sorriram e se abraçaram, felizes e contentes.

E assim termina a história do menino e do balão. Uma história de amor, de esperança, e de amizade. Uma história que mostra que, mesmo quando os pais se separam, eles nunca deixam de amar os seus filhos. E que, mesmo quando os filhos perdem os seus balões, eles nunca deixam de sonhar.

Fim.

loading...

você pode gostar também